Este artigo sobre Chico Xavier foi publicado na página da Federação Espírita Brasileira, por Geraldo Campetti Sobrinho.

Comunicação, interatividade e divulgação espírita
 

A missão da Federação Espírita Brasileira está apresentada no artigo primeiro de seu estatuto, quando ali se insere que cabe à instituição promover o estudo, a prática e a difusão do Espiritismo com fundamento nas obras da Codificação Espírita e no Evangelho de Jesus.O estudo é indispensável para que aprendamos a aprender, a conhecer. Enseja-nos um novo mundo de descobertas que possibilitam o entendimento de questões até então ignoradas. É como se um universo diferente e deslumbrante surgisse a nossa frente. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”[1], são palavras de Jesus que nos exortam ao processo de libertação pelo conhecimento. O estudo espírita aclara a mente e pacifica o coração.

A prática espírita, configurada no exercício seguro da mediunidade e na vivência dos postulados doutrinários, é instrumento de educação espiritual, quando o ser é convidado a apresentar os testemunhos pessoais e intransferíveis do exercício da coerência, aliando a teoria à prática, no cotidiano de sua existência. É o que terá maior peso em nossa contabilidade espiritual. Mais vale o que somos do que temos, considerando o ser como conquista permanente e o ter como aquisição temporária. Somos convocados à prática da caridade como requisito fundamental ao êxito na busca da felicidade almejada por todos nós. Fazer o bem faz bem a quem o faz.

A difusão dos postulados espiritistas nos tempos hodiernos é uma necessidade inadiável para a definitiva implantação do Reino de Deus na Terra, a começar por sua instalação no coração de cada um de nós. Acessar a informação espírita enquanto estivermos na caminhada terrena pode provocar a completa mudança na forma de pensar-sentir-agir do materialista, cético, agnóstico, ateu e, até mesmo, do religioso aberto a novidades transformadoras. Por isso, temos o compromisso de divulgar o Espiritismo por meio das diversas mídias disponíveis na atualidade. São tantos os recursos de tecnologia da informação e comunicação, facilitando a interatividade entre as pessoas, independentemente de distâncias geográficas ou barreiras físicas, que não podemos descurar da responsabilidade de disseminar a mensagem do Evangelho de Jesus pelas luzes da Doutrina Espírita a todos os rincões do mundo, iluminando mentes e consolando corações.

Os mais modernos instrumentos de comunicações virtuais, digitais e eletrônicas, pela vulgarização do uso da rede mundial, possibilitou o intercâmbio entre os povos dos diversos continentes e a aproximação dos homens pelas relações sociais e busca de negócios econômico-financeiros ou aqueles empreendimentos sem fins lucrativos que beneficiam o desenvolvimento das ciências e das artes, da filosofia e da educação, das condições de vida do ser humano.

Se a informação e o conhecimento são importantes para a evolução humana, é preciso reconhecer que estamos na era da interatividade, por meio da qual, espargindo o bem pelas luzes do Espiritismo, conseguiremos aplicar em nossa vida a mensagem do Cristo em toda a sua essência para a nossa plenitude e auxílio daqueles que buscam a paz e a serenidade acalentadas no alvorecer de um mundo de regeneração.

A FEB, em sua missão de promover o estudo, a prática e a difusão espírita, colabora efetivamente para a renovação do mundo nesse momento crucial da transição planetária.

[1] João, 8:32.

Autor: Geraldo Campetti Sobrinho

Vice-presidente da Federação Espírita Brasileira desde março de 2012. É Coordenador da Comissão Editorial da FEB Editora e responsável pela Biblioteca de Obras Raras e Museu da Federação. Foi diretor da Instituição por mais de uma década.

Anúncios